Volkswagen desvenda T-Cross

Depois do T-roc, é a vez do T-Cross ser mostrado pela primeira vez. É um veículo jovem, prático e versátil, no segmento dos compactos (A0).

Trata-se de um modelo crossover urbano, com um comprimento de 4,11 metros e uma altura de 1,56 metros (mais 54 mm e 112 mm que o Polo, respetivamente).

Define tendências, nomeadamente através das múltiplas possibilidades de design e combinações de personalizadas.
Design exterior: imponente parte dianteira, com uma dominante grelha do radiador Logo num primeiro olhar, o T-Cross não deixa ninguém indiferente. A sua imponente parte dianteira acentua que pertence à família e, ao mesmo tempo, realça a individualidade do novo modelo. O dominante capot dianteiro e a larga grelha do radiador estabelecem detalhes bem
definidos, com os faróis integrados em cada extremidade.

O perfil lateral é dominado por duas características linhas horizontais que destacam uma presença musculada, a qual é extensível à secção traseira, que apresenta um novo e imponente elemento de design: exibe uma faixa refletora em toda a largura da parte traseira, realçada por um embelezador preto que reforça visualmente a largura do T-Cross.

Apesar do seu comprimento de 4,11 metros, 12 cm mais curto que o TRoc, o T-Cross oferece um acesso confortável através de quatro grandes portas – uma vantagem essencial da plataforma modular transversal MQB, que torna possível montar o eixo dianteiro bastante para a frente.

A grande distância entre eixos de 2,56 metros cumpre as exigências para um habitáculo de generosas dimensões, com muito
espaço até cinco adultos. O porta bagagens oferece uma volumetria entre 385 e 455 litros, deslocando a fila dos bancos traseiros. Mas, graças ao banco traseiro rebatível, é possível, num abrir e fechar de olhos, converter o T-Cross num veículo de transporte com uma superfície de carga plana e uma volumetria até 1281 litros, o melhor valor absoluto para um SUV desta categoria.

Na fase de lançamento estão disponíveis três eficientes motores turbo para garantir uma rápida dinâmica de andamento ao volante do T-Cross. Os dois motores a gasolina de três cilindros 1.0 TSI com filtro de partículas debitam uma potência de 95 cv ou de 115 cv. A oferta é completada com um motor de 4 cilindros 1.6 TDI de 95 cv.

Todos cumprem a norma de emissões Euro 6D-TEMP. Consoante o motor selecionado, a potência é transmitida à estrada através do eixo dianteiro mediante uma caixa manual de 5 ou 6 velocidades e de uma transmissão de dupla embraiagem DSG de 7 velocidades.

Anterior Novo BMW X5 já tem kit M Performance Parts
Próximo McLaren mostra nova jóia da coroa

Artigos relacionados

Toyota aumenta a produção de fuel cell e depósitos de hidrogénio

A Toyota que atualmente produz cerca de 3 mil veículos a pilha de combustível, acredita que as vendas a nível mundial de veículos a pilha de combustível (FCEV) irão aumentar de forma significativa depois do ano 2020, para pelo menos 30 mil unidades por ano.

Fórmula 1 estuda medidas para aumentar ultrapassagens

O grupo técnico da Fórmula 1 prepara-se para debater novas medidas para aumentar o número de ultrapassagens em pista, num esforço que se insere no quadro de encargos de medidas

Volvo dá início aos ensaios de condução autónoma com famílias

A Volvo Cars revelou, na abertura do Detroit Motor Show, a abordagem distinta que levará a cabo no desenvolvimento das tecnologias de condução autónoma e que visa a colocação das pessoas em primeiro lugar.