Teste Audi A4 Avant 2.0 TDI 150 cv Sport: Revolução interna

Teste Audi A4 Avant 2.0 TDI 150 cv Sport: Revolução interna

A Audi regressa à berlinda com um modelo evoluído e tecnologicamente repleto de novas funcionalidades, dispondo ao mesmo tempo de diversas qualidades em termos de versatilidade, eficiência e refinamento. Mesmo que não pareça…

Com mais de 12 milhões de unidades vendidas desde o lançamento da primeira geração, há cerca de 40 anos (então com designação “80”), o Audi A4 é um dos concorrentes de peso naquele que é um dos segmentos de maior relevância para as marcas Premium, o dos familiares médios. Surge agora profundamente renovado, tendo pela frente os “suspeitos do costume” – BMW Série 3 e Mercedes-Benz Classe C –, além de alguns “outsiders” ambiciosos como o Volkswagen Passat. No caso premente, ensaiamos a carroçaria que deverá reclamar para si a maior fatia de vendas do mercado, dada a versatilidade interior acrescida e capacidade da bagageira aumentada.

Campo em que a Audi já não surpreende é no do design. A imagem da nova A4 Avant pode induzir em erro o observador mais incauto, fazendo pensar que se trata apenas de uma mera evolução quando, objetivamente, assume um caráter de revolução. É, então, sob aparência tradicional que surgem os grandes predicados desta nova carrinha. Destaque para a nova plataforma, mais leve, com recurso a alumínio em elementos como a porta da bagageira ou alguns componentes da suspensão, motores mais eficientes e novos métodos de construção. No total, a marca germânica garante que o novo A4 chega a ser até 120 kg mais leve do que o anterior, dependendo da versão, contrapondo, por outro lado, um aumento da rigidez e da segurança.

Melhor por dentro

Com 4,73 metros de comprimento, a maior versatilidade para passageiros e bagagens é mesmo um ponto de destaque desta carrinha, com a mala a oferecer 505 litros (1.510 com os bancos traseiros rebatidos), formato regular e plano de carga baixo. A ajudar o lado prático, a porta da mala tem acionamento elétrico.

Num habitáculo moderno e bem concebido, nota para a volumetria incrementada nos lugares traseiros, logrando situar-se entre os melhores do segmento, em especial no que diz respeito à altura (104 cm à frente e 97 cm atrás), mercê de bancos com assento fundo, e ao espaço para as pernas (que varia entre 66 e 90 cm). A apreciação muito positiva da habitabilidade nos bancos posteriores apenas é levemente prejudicada pelo túnel central saliente que faz com que o passageiro do meio tenha de se esforçar para passar as pernas de um lado para o outro.

Audi A4 avant (5)

O bom ambiente a bordo é reforçado pela qualidade dos materiais e pelo rigor da montagem – irrepreensível –, naquele que é um dos sinais evolutivos mais visíveis deste modelo. A ergonomia e a disposição dos comandos ganham pela simplicidade e por serem intuitivos. Bom exemplo disso é a nova interface ‘sensitiva’ do ar condicionado, que apresenta as opções de cada botão ainda antes de se carregar num deles. Mesmo o sistema MMI é de fácil apreensão, surgindo associado no caso do modelo ensaiado (com Navigation) a ecrã de 8.3 polegadas.

Competência dinâmica

A opção mais requisitada entre os Diesel será a 2.0 TDI de 150 CV associada a caixa manual de seis velocidades, num conjunto que se revela bastante eficiente e com respostas muito competentes qualquer que seja o regime de funcionamento. Suave e enérgico desde baixas rotações, o 2.0 TDI mostra respostas vigorosas logo em redor das 1.500 rpm, entregando a sua potência de forma progressiva e com recuperações também à altura. A caixa tem manuseamento preciso e igualmente irrepreensível. Nota muito positiva, ainda, para a insonorização e para a supressão de vibrações, sendo praticamente impercetível qualquer ruído proveniente do motor ou do exterior. Quanto a consumos, a média real situa-se na casa dos cinco litros ‘altos’: apurámos 5,8 l/100 km, bem mais do que os 4,1 l/100 anunciados, mas ainda assim um registo interessante.

Dinamicamente, a carrinha alemã prima por notória estabilidade, ligeireza de movimentos e neutralidade das reações, com um eixo traseiro muito cumpridor, sendo ajudado pela suspensão mais firme, mas competente no equilíbrio entre conforto e precisão. Mais do que um entusiasta de zonas sinuosas, surge mais talhado para viagens longas, sobretudo pelo seu refinamento. O sistema Audi drive select (240 €) – com modos “efficiency”, “comfort”, “auto”, “dynamic e “individual” – altera os parâmetros de resposta da direção, acelerador e suspensão, mas os efeitos práticos não são muito notórios.

Por fim, esta Audi A4 Avant destaca-se pela lista de equipamento recheada, sendo de realçar alguns itens de segurança de série, como por exemplo a travagem de emergência em cidade ou o aviso de cansaço do condutor, que tornam a relação preço/equipamento desta versão Sport (46.190 €) mais aliciante. Aqui, referência, ainda, para outros elementos relevantes como o ar condicionado de três zonas ou as jantes de 17 polegadas. O ‘cardápio’ de opcionais tem de tudo, mas também eleva o preço final, como se comprova pelos 8.185 € de ‘extras’ montados na nossa unidade de teste. Para quem não liga muito a equipamento, o valor pedido pela A4 Avant é de 43.340 euros na versão base.

Conclusão

A nova A4 Avant dá um enorme passo em frente em todos os capítulos, desde a agilidade dinâmica ao refinamento, passando pela habitabilidade e bagageira. Tecnologicamente mais avançada, esta geração sobressai, assim, como uma proposta de topo para o segmento e revela que a Audi é de novo candidata à liderança.

Texto: Miguel Silva

Fotos: Paulo Calisto

FICHA TÉCNICA
AUDI A4 AVANT 2.0 TDI 150 CV SPORT
Tipo de motor Diesel, 4 cilindros em linha, turbo
Cilindrada 1.968 cm3
Potência 150 CV entre as 3.250 e as 4.200 rpm
Binário máximo 320 Nm entre as 1.500 e as 3.250 rpm
V. Máxima 215 km/h
Aceleração 9,2 s (0 aos 100 km/h)
Consumo 4,1 l/100 km (misto)
Emissões CO2  109 g/km
Dimensões (C/L/A) 4.725 / 1.842 / 1.434 mm
Pneus 225/45 R17
Peso 1.550 kg
Bagageira 505 l
Preço 46.190€
Lançamento Dezembro de 2015

 

Anterior Repsol distribui convites para etapa do Campeonato Espanhol de Velocidade no Algarve
Próximo Ford propõe veículos autónomos para viagens partilhadas em 2021

Artigos relacionados

Opel Astra com motor Diesel BiTurbo chega em julho

O novo motor BiTurbo CDTI de 160 cv para o Opel Astra chega já em julho, ampliando desta forma o leque de opções para o familiar, tanto em carrinha como

Volvo produz primeiro XC90 para o projeto de condução autónoma Drive Me

A Volvo mantém a sua aposta na condução autónoma e anunciou a produção do primeiro XC90 equipado com tecnologias para esse efeito. Esta unidade do XC90 trata-se da primeira de

Renault Mégane GT ‘exercita-se’ em Le Mans

A Renault ‘abre o apetite’ para a nova geração do Mégane com mais um vídeo dedicado ao seu novo compacto familiar, desta feita em versão mais desportiva GT. O mais

0 Comentários

Ainda sem comentários!

Seja o primeiro a comentar este artigo!

Deixe um comentário