SEAT reforça toda a sua gama de veículos GNC

A SEAT continua a liderar a implementação de tecnologia de gás natural comprimido (GNC), disponibilizando aos consumidores uma gama alargada de oferta de modelos que são mais sustentáveis e garantem uma ainda maior eficiência.

A gama da marca inclui o Ibiza TGI, Arona TGI e Leon TGI (5 portas e ST), o que significa que há um modelo com propulsão GNC à medida de cada gosto e de cada estilo de vida, retirando vantagem do rápido crescimento da rede de abastecimento de GNC na Europa, juntamente com as mais relevantes vantagens da Mobilidade a Gás Natural, que são a sustentabilidade e o baixo custo por quilómetro.

Todos os veículos foram desenhados e concebidos no fábrica da SEAT, em Martorell, assumindo-se como mais um passo no programa de desenvolvimento da empresa, evidenciando os benefícios de usar GNC como combustível primário, um combustível com menor impacto no ambiente mas sem diminuição no prazer de condução.

Em Portugal, são atribuídos diversos benefícios fiscais tanto para particulares como para empresas. Existe uma redução na Tributação Autónoma para 7,5%, 15% e 27,5% em cada um dos três escalões, em vez de 10%, 27,5% e 35% nos modelos a gasóleo.

Também o Imposto Sobre Veículos (ISV) é reduzido para 40%, e às empresas é ainda permitida a dedução de 50% do IVA pago na aquisição destas viaturas até 37.500 euros. Além disso, existe ainda uma dedução de 50% do IVA destes combustíveis.

Um veículo a GNC tem menos 25% de emissões de CO2 face a um automóvel a gasolina equivalente. Quanto aos benefícios ecológicos e fiscais, a tecnologia permite custos excecionais por quilómetro, até 50% mais baratos do que o equivalente num modelo a gasolina e 30% menos do que num Diesel. E com as melhorias que a SEAT introduziu na tecnologia, é agora possível fazer mais quilómetros sem reabastecer.

A maior novidade prende-se com a introdução do terceiro depósito de GNC. No caso do Ibiza e do Arona, a autonomia em modo GNC chega agora aos 360km (de acordo com medições WLTP), enquanto o Leon consegue alcançar os 440km (de acordo com medições WLTP). Esta nova configuração corresponde às exigências dos clientes TGI, que pediam uma maior autonomia em modo GNC.

Com a tecnologia de GNC, a SEAT tem a vantagem de conseguir oferecer aos clientes uma alternativa verdadeira que é, simultaneamente, eficiente e moderna, num veículo com um preço virtualmente igual ao de um veículo equivalente Diesel.

Mais: os custos de manutenção de um modelo TGI são semelhantes aos de um modelo com motor de combustão convencional. Isto significa que estes veículos são mais limpos e com um melhor value for money, garantindo principalmente a melhor eficiência do GNC face aos outros combustíveis.

A SEAT está também a apoiar o desenvolvimento e disponibilidade do bio metano renovável, que neutraliza as emissões de CO2 geradas com a utilização do veículo. Somente um veículo 100% elétrico carregado com eletricidade oriunda de fontes 100% renováveis consegue oferecer uma melhor relação.

Anterior Corvette destapa o véu sobre o novo C8
Próximo Mazda atualiza 2 para o próximo ano

Artigos relacionados

Teste: HYUNDAI IONIQ HÍBRIDO PLUG-IN – Terceiro elemento

O Ioniq híbrido plug-in junta-se às versões híbrida e elétrica na gama do compacto coreano.

SEAT bate recorde de vendas entre janeiro e setembro

As vendas globais da SEAT bateram novo recorde até ao mês de setembro. Desde janeiro, a empresa automóvel entregou 415.600 automóveis em todo o mundo, mais 17,1% em relação ao período homólogo do ano passado (354.900).

Sebastian Vettel bate Mercedes no Bahrein

Se a qualificação para o Grande Prémio do Bahrein parecia fazer crer que a prova seria um assunto para discussão entre os pilotos da Mercedes-AMG, a corrida mostrou um cenário completamente diferente.