Renovado Audi e-tron traz mais quilómetros de autonomia

O SUV elétrico Audi e-tron 55 quattro ganha cerca de 25 quilómetros de autonomia passando a totalizar 436 quilómetros sem necessidade de carregamento.

Este aumento foi obtido graças a uma atualização de software e alteração do formato dos travões que permite menos perdas de energia (normalmente causadas pela proximidade entre as pinças e o disco de travão). Também o próprio sistema propulsor composto por dois motores foi modificado.

Em condução normal, o motor no eixo traseiro fornece energia quase em exclusivo, com uma série de melhorias feitas a desconectarem, quase por completo, o motor dianteiro da fonte de eletricidade, ou seja, aumentando a eficiência do conjunto.

Apenas quando o condutor necessita de mais potência é que os dois motores atuam em conjunto. Resultado prático, indica a Audi, é o aumento da capacidade útil da bateria, que é agora de 86.5 kWh de um total de 95 kWh.

O SUV alemão ganha um pacote S line para maior dinâmica, com jantes de até 20 polegadas, para-choques mais agressivos (com maiores cortinas de ar laterais), soleiras das portas em alumínio com logótipo ‘S line’. Na traseira, spoiler e difusor garantem uma aerodinâmica melhorada.

Anterior Renault zoe vai ao troféu Andros com 340 CV
Próximo Volkswagen ID3 equipado com pneus Continental

Artigos relacionados

SEAT aumenta frota de mega camiões para uma logística mais sustentável

A SEAT ampliou as rotas de fornecedores que transportam mercadorias através de duotrailers e gigatrailers, os dois camiões de maior capacidade e comprimento que circulam nas estradas europeias.

Toyota Gazoo Racing SA com quatro Hilux no Dakar 2020

A Toyota Gazoo Racing South Africa (TGRSA) na 42ª edição do rali Dakar com quatro Hilux. O Dakar 2020, deixa a América do Sul e ruma para a Arábia Saudita, numa prova composta por 12 etapas com uma distância total próxima dos 7.900 km e maioritariamente em areia.

Depois de 25 anos, Mário Guerreiro sai do Grupo Volkswagen

Em março de 2019, Mário Guerreiro abandona o Volkswagen depois de 25 anos ao serviço do grupo alemão. Um português, entre os muitos que ocuparam cargos de peso nas marcas de automóveis.