RENAULT TWINGO SPORT ENERGY TCE 90 S&S

RENAULT TWINGO SPORT ENERGY TCE 90 S&S

Metamorfose

 

O citadino francês sofreu profunda transformação para se converter num dos modelos mais dinâmicos e irreverentes do segmento.

 

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

Texto: José A. Guzmán                Fotos: RCA Photo

 

O termo metamorfose provém do grego e significa transformação. Uma forma perfeita para explicar, de forma simples, o que sucedeu à terceira geração do citadino da Renault. Estreia carroçaria de cinco portas, o motor foi deslocado para o eixo posterior e o sistema de tração é, igualmente, atrás. Definitivamente, um Twingo completamente diferente de qualquer outro… Twingo, produzido até ao momento.

 

Mais pequeno

O novo modelo francês é mais pequeno do que o antecessor. Na prática, o comprimento da carroçaria passa de 3,69 metros para 3,60, contudo a distância entre eixos cresceu até aos 2,49. Um aumento que se traduz num habitáculo, configurado para quatro lugares, mais amplo e confortável. Além disso, as portas traseiras beneficiam sobremaneira a acessibilidade. Menos abonatório, a nova localização do motor retira algum espaço à bagageira, que se cifra em 174 litros, bastante justos, mesmo para quatro ocupantes.

 

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

Muitos detalhes

Em termos estéticos, a frente é mais compacta, com grupos óticos arredondados e uma grelha de tamanho reduzido. Por sua vez, a traseira apresenta os farolins localizados numa posição elevada, enquanto, o desenho das portas traseiras está bastante dissimulado e as janelas, de abertura em compasso, dão a sensação de estarmos diante de uma carroçaria de três portas. Detalhes que conferem identidade única ao novo Twingo.

Pequeno coração

Para aceder ao compartimento do motor, apesar de não ser muito usual, temos de levantar o fundo da bagageira. Ao fazê-lo, descobrimos um bloco tricilíndrico a gasolina, turbo, com 898 cm3 de cilindrada, 90 CV de potência e 135 Nm de binário, disponível a partir das 2.500 rpm, acoplado a caixa manual de cinco velocidades. As prestações são mais do que aceitáveis, com provam a velocidade máxima de 165 km/h e a aceleração dos 0 aos 100 km/h em 10,8 segundos. Para fechar a ficha técnica, deve-se dizer que o consumo é de 4,3 litros por cada 100 quilómetros, em ciclo misto, e as emissões de CO2 situam-se nas 99 g/km.

 

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

Alma urbana

Dadas as suas características, é natural que o seu habitat preferido seja… a cidade. Aqui, qual peixe na água, o Twingo mostra todas as suas faculdades, nomeadamente ao nível da facilidade de estacionamento e na forma despachada como se desenvencilha das ruas e vielas mais apertadas.

A ausência do motor no eixo dianteiro permitiu reduzir substancialmente o diâmetro de viragem para uns excelentes 8,6 metros. Se a isto juntarmos um motor com potência de sobra e uma transmissão manual bem escalonada, depressa chegamos à conclusão que o resultado final dificilmente podia ser melhor. Mais. Se o seu dia-a-dia engloba percursos fora da cidade, não se preocupe, pois o Twingo não vira a cara e atreve-se ao desafio sem medos. Aqui, a única questão a ter em conta é o facto de se tratar de um veículo com uma distância entre eixos mais reduzida, que acusa em demasia os ventos laterais. Além disso, ao elevar o regime do motor, os ocupantes vão notar um aumento do som proveniente da bagageira. Ainda assim, o pequeno Renault é capaz de manter velocidades estáveis sem esforço e sem que os consumos disparem.

 

Inversão razoável

Antes de concluir, referência para um aspeto. A nossa unidade de ensaio veste o equipamento “Sport”, o único disponível com este motor e também o mais completo. Feita a ressalva, o Twingo custa 14.780 euros, um preço superior ao de muitos dos rivais, é verdade. No entanto, apenas o smart forfour, com o qual partilha o desenvolvimento e vários componentes mecânicos, aproxima-se do conceito transgressor proposto pelo modelo da Renault. Uma inversão mais do que justificada pelas inegáveis qualidades e dose de irreverência que engloba.

 

==============================================================

 

Conclusão

Se procura um citadino ágil e dinâmico, com estética chamativa e equipamento de série convincente, o Twingo é uma alternativa bastante razoável. Não é barato, é verdade, mas tem o condão de ser um automóvel diferente.

 

 

FICHA TÉCNICA RENAULT TWINGO SPORT ENERGY TCE 90 S&S

Tipo de motor                                  Gasolina, 3 cilindros em linha, turbo

Cilindrada                                           898 cm3

Potência                                             90 CV às 5.500 rpm

Binário máximo                                               135 Nm às 2.500 rpm

  1. máxima 165 km/h

Aceleração                                        10,8 s (0 a 100 km/h)

Consumo                                           4,3 l/100 km (misto)

Emissões CO2                                   99 g/km

Dimensões (C/L/A)                        3.595 / 1.646 / 1.554 mm

Pneus                                                  165/65 R15 (fre.)

185/60 R15 (tras.)

Peso                                                     1.018 kg

Bagageira                                           174 l

Preço                                                   14.780 €

Lançamento                                      Novembro de 2014

 

 

FICHA EQUIPAMENTO RENAULT TWINGO SPORT ENERGY TCE 90 S&S

 

DE SÉRIE

Airbags frontais e laterais dianteiros, sistema de antibloqueio de travões ABS, controlo dinâmico de estabilidade ESC, controlo dinâmico de tração, distribuição da força de travagem, sistema de assistência à travagem de emergência, sensor da pressão dos pneus, alerta de transposição involuntária da faixa de rodagem, regulador e limitador de velocidade, sistema Stop&Start, faróis dianteiros diurnos com tecnologia LED, ar condicionado manual, computador de bordo, estofos em tecido/couro, volante regulável em altura, vidros elétricos dianteiros, volante regulável em altura, volante em couro multifunções, rádio Connect R&GO com CD, MP3, ligação USB, e jantes de liga leve de 16 polegadas

 

 

OPCIONAIS

Pintura metalizada (320 €), sistema de ajuda ao estacionamento traseiro (120 €), teto de abrir elétrico em lona (950 €), pack Clim Auto – inclui ar condicionado automático e sensores de chuva e luz – (360 €), pack Conforto  – inclui sistema de aquecimento dos bancos dianteiros e sistema Isofix nos bancos dianteiro e traseiros – (300 €), pack Techno  – inclui sistema multimédia R-Link com rádio digital, sistema de ajuda ao estacionamento traseiros com câmara e consola central aberta com entrada USB – (1.000 €, )

Anterior MAZDA 6 e CX-5
Próximo Skoda Superb

Artigos relacionados

Teste – Toyota Yaris GRMN – Preparado para a diversão?

O preparador oficinal da Toyota marca a sua estreia no Velho Continente com o lançamento do Yaris GRMN, a versão mais radical jamais produzida do utilitário japonês.

Teste: Nissan GT-R 2017: 10 velas depois

O GT-R surgiu como o rival japonês do Porsche 911 Turbo. Volvidos 10 anos, atingiu a maturidade para se afirmar como um dos melhores superdesportivos do momento.

VOLVO XC90 D5 AWD INSCRIPTION: Moda nórdica

A passerelle dos SUV de grandes dimensões dá as boas-vindas a um modelo que se orgulha de apresentar as mais recentes tendências estilísticas da casa sueca. Tudo servido como muita tecnologia e máxima segurança.

0 Comentários

Ainda sem comentários!

Seja o primeiro a comentar este artigo!

Deixe um comentário