Teste: Porsche Macan S Diesel: Não é o que parece…

Teste: Porsche Macan S Diesel: Não é o que parece…

Apesar de parecer um SUV perfeitamente normal, basta sentar ao volante para descobrir que, como bom Porsche, o Macan é uma autêntica máquina de devorar quilómetros… a ritmos pouco próprios para quem sofra do coração.

Antes de iniciar este teste, o Porsche Cayenne era um dos meus SUV favoritos. No entanto, depois de conduzir o Macan, essa perceção mudou. Na prática, o “pequeno” da casa alemã mantém as qualidades do mais “velho”, mas com dinâmica mais apurada, graças ao facto de contar com dimensões e peso mais reduzidos.

Diferente

Eis a melhor forma de descrever o design do nosso protagonista, que apresenta uma estética própria… sempre dentro do código genético da marca. Um fator, aliás, preponderante para se diferenciar da restante concorrência. Com uma frente imponente e jantes de liga leve de 20 polegadas, opcionais, é na parte traseira que encontramos os traços mais distintivos e onde sobressai o generoso portão, com abertura e fecho elétricos, que esconde uma bagageira de 500 litros de capacidade; inferior à dos rivais.

Construído sobre a plataforma do Audi Q5, o Macan apresenta-se numa carroçaria com 4,68 metros de comprimento, 1,92 de largura, 1,62 de altura e 2,80 m de distância entre eixos, enquanto o peso é de 1.880 quilos.

No bom caminho

Apesar de homologado para cinco ocupantes, a lotação ideal é de quatro adultos. Contudo, tratando-se de um Porsche, outros fatores mais altos se levantam e acabam por compensar esta pequena lacuna. Quais? O tempo que se poupa para chegar aos compromissos, graças ao excelente propulsor desta versão S Diesel.

Na verdade, referimo-nos ao motor 3.0 V6 turbodiesel de 258 CV e um excelente binário de 580 Nm, disponível entre as 1.750 e as 2.500 rpm. Perante tais números, não é difícil imaginar qual o resultado sempre que pisamos o acelerador. Uma espécie de dose reforçada de potência, sem hesitações ou quebras, que catapulta o modelo alemão até aos 100 km/h em apenas 6,3 segundos. De igual forma, a velocidade máxima cifra-se nuns muito respeitáveis 260 km/h. Tudo servido por uma sonoridade que nos faz esquecer que estamos aos comandos de um turbodiesel. Para rematar, o consumo médio anunciado é de 6,1 litros por cada 100 quilómetros e as emissões de CO2 de 159 g/km, sendo de realçar, neste âmbito, as preciosas ajudas do sistema de paragem e arranque automáticos do motor “auto start/stop” e da função de navegação à vela associada à caixa automática “PDK”.

Fora do asfalto…

Entre os atributos que tornam o Macan especial, o primeiro é a irrepreensível transmissão automática de dupla embraiagem PDK, de sete velocidades, que merece todos os elogios tanto pela velocidade como no desempenho. O segundo é o sistema de tração “PTM” (Porsche Traction Management), composto por uma embraiagem multidisco, controlada eletronicamente, que varia a distribuição do binário entre os dois eixos de forma automática em função das necessidades. Ainda assim, e apesar da capacidade de tração estar garantida, esta pode ser melhorada com o “PTV Plus” (Porsche Torque Vectoring Plus), um diferencial autoblocante traseiro capaz de enviar 100 por cento do binário para apenas uma roda.

Continuando no equipamento, não podemos deixar de destacar o modo “OFFROAD”, no qual, sistemas como o controlo de estabilidade “PSM”, o “PTV Plus” ou a suspensão adaptativa “PASM”, opcional mas recomendável, se adaptam à condução fora do asfalto. Dispositivos aos quais devemos juntar o controlo de descida de inclinações “PHC”. É provável que nunca o chegue a utilizar, mas nunca é demais tê-lo como aliado.

Vale o que custa?

De volta ao seu habitat natural, a estrada, entra em jogo outro modo, denominado “SPORT”. Um dispositivo que, fruto da gestão eletrónica, torna a resposta do motor mais rápida às solicitações do pedal do acelerador. Se a isto acrescentarmos um chassis equilibrado, uma direção assistida precisa e um incansável sistema de travões, pode-se dizer que estamos diante da referência da classe em termos de comportamento dinâmico.

Como em tudo na vida, o que é bom paga-se. E o Macan S Diesel não foge à regra com o preço de 81.834 euros. É verdade que os seus rivais “Premium” são sensivelmente mais baratos, mas… quantos oferecem a mesma dose de emoção ao volante? Provavelmente, nenhum…

Conclusão

Não se deixe enganar pelo formato SUV e o motor turbo: o Macan tem alma de desportivo e empenha-se em demonstrá-lo de forma contínua. Um autêntico lobo com pele de cordeiro …

Texto: Javier Llorente

Fotos: RCA Photo

FICHA TÉCNICA
PORSCHE MACAN S DIESEL

Tipo de motor                         Diesel, 6 cilindros em V, turbo

Cilindrada                               2.967 cm3

Potência                                  258 CV entre as 4.000 e as 4.250 rpm

Binário máximo                     580 Nm entre as 1.750 e as 2.500 rpm

Velocidade máxima               230 km/h

Aceleração                             6,3 s (0 a 100 km/h)

Consumo                                6,1 l/100 km (misto)

Emissões CO2                        159 g/km

Dimensões (C/L/A)                 4.681 / 1.923 / 1.624 mm

Pneus                                      235/60 R18 (fre.), 255/55 R18 (tras.)

Peso                                        1.880 kg

Bagageira                              500 L

Preço                                      81.834 €

Lançamento                          Abril de 2014

AVALIAÇÃO

Preço                          3 estrelas

Prestações                  4 estrelas

Comportamento         5 estrelas

Consumo                    4 estrelas

EURONCAP

Teste 2014      5 Estrelas

Adultos 88%

Peões 60%

Crianças 87%

Segurança 66%

Anterior Abarth prepara entrada nos ralis com 124 Spyder
Próximo Smart cria o stand mais pequeno do mundo em Lisboa

Artigos relacionados

Infiniti inicia produção do novo Q60 em Tochigi

A produção do novo Infiniti Q60 já teve o seu início na fábrica da marca em Tochigi, no Japão. Concebido e desenvolvido como um modelo para emoções fortes com desenho

Lamborghini equaciona modelo mais compacto

A Lamborghini poderá estar a ponderar lançar um novo desportivo mais compacto para colocação na base da sua gama, com Stefano Domenicali, diretor da companhia italiana a avançar essa possibilidade.

Novo Mercedes-Benz Classe C Cabrio destaca-se com capota encarnada

Tendo revelado recentemente um esboço daquele que será o terceiro elemento da família do Classe C, a Mercedes-Benz está a ultimar o desenvolvimento da variante Cabriolet, que será revelada no

0 Comentários

Ainda sem comentários!

Seja o primeiro a comentar este artigo!

Deixe um comentário