• Opel Insignia GSi: Baixo peso e muita eficácia para o novo topo de gama alemão
  • Opel Insignia GSi: Baixo peso e muita eficácia para o novo topo de gama alemão
  • Opel Insignia GSi: Baixo peso e muita eficácia para o novo topo de gama alemão
  • Opel Insignia GSi: Baixo peso e muita eficácia para o novo topo de gama alemão
  • Opel Insignia GSi: Baixo peso e muita eficácia para o novo topo de gama alemão

Opel Insignia GSi: Baixo peso e muita eficácia para o novo topo de gama alemão

Numa versão que a Opel dedica aos “conhecedores”, o Insignia GSi promete performances elevadas e uma elevada competência dinâmica, graças a um motor 2.0 Turbo de 260 CV de potência e ao chassis trabalhado especificamente para uma perceção de condução mais desportiva. O sistema de tração 4×4 com vetorização do binário também marca presença, além de uma nova caixa automática de oito velocidades que pode ser comandada a partir de patilhas colocadas atrás do volante.

O visual também foi alterado, com o para-choques dianteiro a possuir duas grandes entradas de ar e um spoiler colocado agora na tampa da mala, para gerar carga aerodinâmica adicional a velocidades elevadas. No habitáculo sobressaem bancos dianteiros de tipo ‘bacquet’, forrados a couro, que são exclusivos desta versão, e um volante com base plana.

O objetivo de tornar o Insignia GSi dinamicamente diferente do já de si ágil Grand Sport levou os engenheiros a procederem a uma série de novas afinações em várias áreas. Resultado prático é a melhoria do tempo no circuito de Nürburgring-Nordschleife face ao anterior Insignia OPC, que era mais potente, mas também mais pesado: o GSi é 160 kg mais leve do que o OPC com motor 2.8 V6 Turbo.

No circuito mais exigente do mundo

As afinações finais do novo Insignia GSi foram realizadas e testadas no lendário circuito de Nürburgring-Nordschleife, situado nas verdejantes montanhas do Eifel. A Opel possui aqui um centro de testes destinado a trabalhar nos modelos de prestações elevadas. A suspensão do Insignia GSi recebe molas mais curtas em 10 milímetros e amortecedores de alto desempenho que reduzem os movimentos da carroçaria ao mínimo. Os travões Brembo, com pinças de quatro êmbolos, e a direção assistida, foram adaptados à nova configuração.

De série, o GSi surge equipado com o chassis de controlo eletrónico FlexRide, capaz de reagir em frações de segundo para ajustar, entre outros, a pressão dos amortecedores e a assistência da direção. A unidade de controlo do sistema também consegue intervir ao nível da resposta do acelerador e dos pontos de troca das oito velocidades da caixa automática. O condutor pode escolher entre os modos Normal, Tour e Sport, com parâmetros diferentes de funcionamento. Um exclusivo do GSi é o modo ‘Competição’, ativado através do ESP, que permite a condutores experientes controlarem eles próprios ângulos maiores de derrapagens, bem como a entrega da potência – algo essencial para uma volta rápida no Nordschleife, por exemplo.

O chassis desportivo do Insignia GSi surge associado aos pneus Michelin Pilot Sport 4S, montados em jantes de 20 polegadas. Para melhorar a dinâmica, este Insignia conta com o sistema de tração integral com vetorização de binário, em que a transmissão possui um eixo traseiro com duas embraiagens em vez de um diferencial convencional. Desta forma, o sistema consegue aplicar de forma variável e diferenciada a potência a cada uma das rodas traseiras.

O motor do novo Insignia GSi é um 2.0 Turbo a gasolina, com 260 CV, com consumo médio de 8,6 l/100 km e emissões de 197 g/km CO2. O elevado binário máximo de 400 Nm está disponível numa faixa alargada de rotações. Para além do 2.0 Turbo, o Insignia GSi facultará a opção de um potente motor turbodiesel.

A apresentação oficial deste modelo irá decorrer no próximo Salão de Frankfurt, em setembro, devendo chegar ao mercado luso pouco tempo depois.

 

Anterior Fórmula 1 vai adotar o 'halo' na temporada de 2018
Próximo Sessenta anos do 600: SEAT celebra modelo histórico em 2017

Artigos relacionados

SEAT une-se à Alastria no desenvolvimento da tecnologia blockchain

A SEAT junta-se à rede Alastria, o primeiro consórcio multissetorial semipúblico que pretende criar um espaço de cooperação digital baseado numa rede independente e neutra e onde se desenvolvem serviços e produtos baseados na tecnologia blockchain.

Versões ST e Vignale para o Ford Kuga?

A gama do renovado Ford Kuga pode vir a receber duas novas variantes específicas, uma mais desportiva sob a sigla ST e outra, mais luxuosa, sob a égide do conceito

Volkswagen Tiguan promete mais eficiência e qualidade

Tendo como premissas fundamentais a eficiência e a qualidade, a nova geração do Tiguan foi já apresentada pela Volkswagen. Primeiro SUV do grupo Volkswagen a ter por base a plataforma