Elon Musk acredita que daqui a 20 anos os autónomos serão a norma

Elon Musk acredita que daqui a 20 anos os autónomos serão a norma

O empreendedor Elon Musk acredita que a condução autónoma vai progredir a um ritmo exponencial nos próximos anos, fazendo com que dentro de 20 anos os veículos de operação manual – como os atuais – se equiparem a cavalos na fase da revolução motorizada.

Estas foram as declarações de Musk num evento em que discursou perante quase três dezenas de governadores norte-americanos em Rhode Island, de acordo com o site Inverse, deixando uma vez mais patentes as suas ideias de que a condução autónoma terá um impacto significativo na sociedade e na forma como o ser humano se desloca.

“Completamente autónomos. Não haverá volante. Em 20 anos? Será como ter um cavalo. As pessoas têm cavalos, o que é bom. Existirão pessoas com carros não-autónomos, como as pessoas têm cavalos. Apenas será pouco comum utilizá-los como meios de transporte”, referiu Musk.

No entanto, apesar destas frases, muitos fabricantes continuam a garantir que os carros terão sempre a possibilidade de operação manual e mesmo os protótipos já revelados até aqui apresentam sempre um volante – mesmo que por vezes escondido no tablier – para que o condutor possa assumir o comando quando assim o desejar.

Anterior Mitsubishi prepara revelação de novo crossover
Próximo Ford recorda que Emojis não são compatíveis com a condução

Artigos relacionados

Fiat Tipo já está disponível em Portugal

O Fiat Tipo apresta-se a iniciar a sua comercialização em Portugal, encontrando-se com duas motorizações turbodiesel Multijet II de 1.3 litros com 95 cv e 1.6 litros com 120 cv,

Lewis Hamilton com triunfo fácil no GP do Canadá

Após uma prestação abaixo das expectativas no Mónaco, a Mercedes-AMG e Lewis Hamilton voltaram às vitórias, com o britânico a controlar de fio a pavio o GP do Canadá.

Nissan vai revelar NP300 Navara em Frankfurt

O Salão de Frankfurt foi o palco escolhido pela Nissan para apresentar a nova geração da pick-up NP-300 Navara para o mercado europeu. Já à venda nalguns países asiáticos, a