Como a ecocondução pode ajudar a poupar combustível

Como a ecocondução pode ajudar a poupar combustível

Com a palavra ‘eficiência’ na ordem do dia, os valores de consumos e emissões poluentes assumem hoje um peso cada vez mais maior na indústria automóvel. Mas esses esforços têm sido acompanhados também por uma crescente consciencialização da sociedade para a proteção do ambiente, levando a que uma fatia significativa dos condutores adote uma condução mais eficiente – a ecocondução.

Colocada a tónica na utilização eficiente do automóvel, procura-se, num primeiro patamar, reduzir os consumos, beneficiando os custos de propriedade do veículo e, num segundo nível, reduzir a poluição para a atmosfera. Além destes dois pontos, um terceiro pode ser ainda encontrado na forma de maior segurança rodoviária. Para que consigam cumprir uma condução eficiente, os condutores devem ter especial atenção a algumas características do seu automóvel e alterar de forma significativa a sua forma de estar atrás do volante.

O que deve verificar

No que diz respeito ao automóvel, além do básico que é o cumprimento de manutenção técnica adequada dos órgãos mecânicos, os condutores devem verificar regularmente (sugere-se uma vez por mês) a pressão dos pneus e o estado do piso de rodagem. Pneus com baixa pressão ou seriamente desgastados aumentam o perigo e o consumo. Deve-se, também, evitar pesos desnecessários a bordo e acautelar o uso excessivo do ar condicionado, um dos grandes consumíveis de combustível.

Como deve conduzir

Em termos comportamentais, adote uma postura defensiva no tráfego ao apostar numa condução por antecipação, ou seja, preste atenção ao fluxo do trânsito de forma a evitar brusquidão nas acelerações e nas travagens. Assim, procure acelerar e desacelerar de forma suave, deixando uma margem segura para o veículo da frente, o que terá o condão de economizar combustível, reduzir emissões e amplificar a segurança. Em estrada aberta, procure conduzir em rotações mais baixas e nunca desengrenar a mudança em descidas ou em velocidade de cruzeiro, naquela que é uma ideia preconcebida de poupança de combustível, mas que está errada. Estar muito tempo com o motor ao ralenti também é uma situação contraproducente para a eficiência automóvel, já que ter o motor em ponto morto equivale a desperdício de combustível (daí a invenção da tecnologia start-stop).

Conselhos fundamentais

– Uma vez por mês, verifique a pressão dos pneus do automóvel, cumprindo as recomendações do fabricante para a carga a transportar a bordo;

– Em condução citadina, procure jogar na antecipação, mantendo uma velocidade constante e limitando acelerações e travagens bruscas;

– Sempre que possível, circule a rotações mais baixas e com a relação de caixa mais elevada possível;

– Engrene uma mudança superior em redor das 2000 rpm;

– Em descidas, não desengrene a mudança: estará a travar com o motor para maior segurança e não gasta combustível;

– Faça uma verificação periódica do estado geral do veículo, removendo igualmente os artigos pesados em excesso que possam estar esquecidos na mala;

– Circule dentro dos limites de velocidade.

Anterior Audi Q4: Novo rival para BMW X4 e Mercedes-Benz GLC?
Próximo Mercedes-AMG GLC 43 4MATIC Coupé: O novo elemento da família AMG

Artigos relacionados

Bentley Bentayga recebe motorização Diesel de elevada potência

Tirando partido do desenvolvimento do Audi SQ7, a Bentley aplica a mesma fórmula ao seu Bentley de luxo, o Bentayga, que agora surge também com uma variante Diesel de elevada potência.

Teste Hyundai Tucson 1.7 CRDI Executive: Embaixador europeu

Mais do que um novo modelo, o Tucson tem a missão de servir de embaixador da marca coreana para o Velho Continente.

SEAT ensina a arrumar a bagageira antes de ir de férias

A SEAT junta-se à autora de lvros Marie Kondo que criou o célebre método KonMari que torna a ordem como filosofia. Assim, esta teoria pode ajudar a arrumar as malas no carro.

0 Comentários

Ainda sem comentários!

Seja o primeiro a comentar este artigo!

Deixe um comentário