Mundial de Ralis (WRC): O regresso às lides em Monte Carlo

Mundial de Ralis (WRC): O regresso às lides em Monte Carlo

A temporada de 2016 do Mundial de Ralis (WRC) apresta-se a iniciar com o sempre icónico Rali de Monte Carlo, prova que tradicionalmente marca o começo de cada época com glamour e algumas surpresas competitivas fruto das sempre complicadas especiais traçadas nas montanhas monegascas.

No total são 90 os carros que irão iniciar a prova, esperando-se uma nova batalha pelo título entre os homens da Volkswagen e uma réplica mais eficaz por parte das demais formações, das quais há a destacar a Hyundai, que efetuou grandes alterações para a nova temporada enquanto vão igualmente trabalhando nos novos modelos para a temporada de 2017.

Com efeito, esta época será a derradeira para os World Rally Cars da atual geração, esperando-se para 2017 a introdução de modelos mais largos, mais potentes e mais leves, construídos ao abrigo dos novos regulamentos da Federação Internacional do Automóvel (FIA) para a modalidade.

Ainda assim, as marcas não descuraram a preparação dos modelos correntes, tendo aproveitado o defeso para melhorar áreas como a suspensão e distribuição de peso. O caso mais sério foi o da Hyundai, que desenvolveu um i20 quase totalmente de raiz apenas para este ano. Para o ano de 2017 terá um novo modelo, bem como a Volkswagen, Ford (M-Sport), Citroën e Toyota, que deverá ter já o seu Yaris WRC pronto neste ano para ensaios competitivos mais sérios.

Ogier na linha da frente

Com três campeonatos na algibeira, Sébastien Ogier tem de ser considerado como o principal candidato ao título, uma vez mais. O piloto gaulês da Volkswagen parece empenhado em imitar o seu outrora companheiro de equipa, Sébastien Loeb, na obtenção de títulos no WRC e parte com a moral em alta.

A sua principal oposição virá, em primeiro lugar, do seu companheiro de equipa na formação germânica, ou seja, Jari-Matti Latvala. O piloto finlandês melhorou bastante ao longo dos últimos anos, sendo agora um piloto mais completo e equilibrado entre consistência e rapidez. Contudo, o facto de ter no outro Polo R WRC um piloto da craveira de Ogier poderá ser um entrave psicológico elevado para o finlandês. No terceiro Polo estará, uma vez mais, Andreas Mikkelsen, num ano que já não será de afirmação para o norueguês, mas sim de ataque.

b_0_0_0_00_images_articulos_2016_01_enero_15_Hyundai_Fotos_Hyundai_3

A maior oposição à marca germânica virá da Hyundai, que conta, como já foi mencionado, com um i20 New Generation quase totalmente renovado para a nova época, mantendo ainda assim a tripla de pilotos para 2016. Assim, Thierry Neuville poderá dar algumas ‘dores de cabeça’ aos homens da Volskwagen, não se podendo descartar ainda a experiência e rapidez de Dani Sordo e a juventude de Hayden Paddon, que este ano procura obter resultados de relevo na alta roda do Mundial de Ralis.

Em segundo plano estarão os Ford da M-Sport, uma vez mais gerida por Malcolm Wilson, com Mads Ostberg e Eric Camilli, um jovem piloto que foi agora ‘promovido’ à série principal, ao volante dos Fiesta WRC, melhorados mas que não deverão estar à altura da velocidade dos Volkswagen.

Ford M sport

De igual forma, a Citroën volta a inscrever os DS3 mas com escassas evoluções tendo em conta que a marca gaulesa vai encarar a temporada de 2016 com um espírito de ano sabático enquanto desenvolve o modelo para 2017. Kris Meeke vai acumular o papel de piloto principal com o de piloto de testes no desenvolvimento do novo carro da equipa e terá a seu lado Sébastien Lefebvre, sendo esta uma ocasião para perceber se o nome ‘Sébastien’ é mesmo sinónimo de sucesso nas estradas, a exemplo do que sucedeu com Loeb e Ogier… A ronda seguinte, na Suécia, terá já mudanças, no entanto, uma vez que Lefebvre deixará de constar na equipa, a qual será composta por três carros, para Meeke, Craig Breen e Khalid Al Qassimi.

Outros pilotos sonantes também terão presença assegurada no Rali de Monte Carlo, como Ott Tanak ou Bryan Bouffier, ao passo que Robert Kubica deverá sair da modalidade após a sua participação no Rali de Monte Carlo.

Na categoria WRC 2 existem também motivos para grandes expectativas, com os Ford Fiesta RS e Skoda Fabia RS, ambos da classe R5, a discutirem entre si a maioria dos triunfos.

Anterior Alpina B7: O mais desportivo dos BMW Série 7
Próximo Nissan vai produzir nova geração de baterias elétricas em Sunderland

Artigos relacionados

Marca Brabham vai voltar ao panorama automóvel

Para comemorar os seus 70 anos de vida, a Brabham regressa à produção para desenvolver o BT62, um superdesportivo de competição que promete um desempenho para lá do comum.

SEAT explica como se desenha um SUV

A SEAT explicou como se desenha um SUV, um dos modelos mais apelativos do mercado automóvel, através da figura de Alejandro Mesonero-Romanos, diretor de Design da marca.

Aston Martin confirma que o AM-RB 003 se vai chamar Valhalla

O novo hipercarro da Aston Martin, o AM-RB 003, vai ser oficialmente conhecido por Valhalla.

0 Comentários

Ainda sem comentários!

Seja o primeiro a comentar este artigo!

Deixe um comentário