Nico Rosberg vence GP da Austrália bastante animado

Nico Rosberg vence GP da Austrália bastante animado

A primeira corrida da temporada de 2016 do Mundial de Fórmula 1 trouxe muito emoção e indecisão quanto ao resultado final praticamente até ao final, mas a classificação foi igual àquela que se viu tantas vezes no ano passado, com um triunfo da Mercedes, desta feita com Nico Rosberg a levar a melhor.

A prova disputada na Austrália, no circuito de Melbourne, ficou marcada por bastante ação em pista e, em especial, pelo impressionante acidente de Fernando Alonso, que na reta que conduz à terceira curva, onde se atinge uma velocidade a rondar os 300 km/h, o piloto espanhol embateu com a sua roda dianteira direita na roda traseira esquerda do Haas de Esteban Gutierrez, seguindo depois, desgovernado, rumo ao muro do lado esquerdo da pista no qual bateu de forma violenta. Sem qualquer controlo sobre a direção a seguir pelo seu McLaren-Honda, Alonso viria a capotar já gravilha, acabando por ficar ‘anichado’ junto ao muro no final da escapatória da curva 3.

Apesar da espetacularidade do acidente, Alonso rapidamente saiu do carro e mostrou estar bem, com o espanhol a dizer já depois da prova que quis sair o mais depressa possível do seu McLaren para mostrar à sua mãe – “que estava em casa a ver, de certeza” – que estava ileso. O acidente validou também a impressionante segurança dos monolugares modernos de Fórmula 1, com o carro a suster na perfeição todos os danos decorrentes do embate. Os detritos deixados em pista acabariam por obrigar à interrupção da prova, afetando mesmo o resultado final. Mas comece-se pelo início da corrida…

Com Lewis Hamilton na pole e Nico Rosberg a seu lado, acabaram por ser os dois Ferrari, de Sebastian Vettel e Kimi Raikkonen, a levar a melhor na partida, saltando para a frente da corrida, enquanto Rosberg e Hamilton lutavam entre si pela terceira posição. ‘Apertado’ na primeira curva pelo alemão, o campeão do mundo acabou por perder algumas posições, caindo para trás de Max Verstappen (Toro Rosso), na quinta posição. Na frente, Vettel e Raikkonen foram impondo o ritmo, sem que Rosberg se conseguisse mostrar ameaçador numa fase em que os super-macios foram os pneus escolhidos. A maior variedade na escolha de compostos foi mesmo uma das maiores novidades, com Vettel e Raikkonen a manterem os super-macios após a primeira paragem nas boxes, ao passo que Rosberg passou para os macios e Hamilton para os médios, só para mencionar os quatro principais animadores da prova.

À 17ª volta, com o acidente de Alonso e a interrupção da corrida, alguns pilotos puderam trocar os compostos de pneus, com Rosberg a jogar uma cartada decisiva na forma dos pneus médios para o seu monolugar, imitando aquilo que Hamilton havia feito. Após o recomeço da prova, Kimi Raikkonen abandonou quando era terceiro, devido a problemas com o motor (as labaredas provenientes da tomada de ar não enganam). O outro momento decisivo dá-se com a paragem de Vettel à 35ª volta, mudando para pneus macios, entregando a liderança a Rosberg e com Hamilton a ficar em segundo, estava na calha mais uma ‘dobradinha’ para a Mercedes, a primeira do ano.

Enquanto Rosberg manteve o comando de forma isolada, Hamilton ainda teve de preocupar com a aproximação de Vettel nas derradeiras voltas, embora um erro do alemão na penúltima curva a duas voltas do final tenha decidido praticamente a classificação final do pódio.

Daniel Ricciardo (Red Bull) terminou em quarto após uma prova bastante positiva, recuperando da oitava posição inicial mas sem conseguir o pódio para ‘oferecer’ aos adeptos australianos. Felipe Massa (Williams) terminou a primeira corrida do ano na quinta posição, após uma fase inicial em que não esteve à altura de Hamilton e de Ricciardo, mas logrando um bom resultado, enquanto a verdadeira surpresa ocorreu atrás de si, com Romain Grosjean a terminar em sexto com a equipa Haas, estreante absoluta na modalidade. O francês parou uma única vez para mudar de pneus, embora na verdade a sua paragem tenha sido feita durante a bandeira vermelha, pelo que teve uma estratégia perfeita para entregar à formação norte-americana os seus primeiros pontos na F1. Mostra, também, que o chassis é ‘amigo’ dos pneus…

As restantes posições pontuáveis ficaram para Nico Hulkenberg (Force India), Valtteri Bottas (Williams) e para os dois pilotos da Toro Rosso, com Carlos Sainz a bater Max Verstappen, que foi um grande animador da corrida, mas que teve uma má paragem nas boxes e algum azar no tráfego em pista, acabando a corrida em luta animada com Sainz e com Jolyon Palmer (Renault), que ficou fora dos pontos e à frente do seu colega de equipa, Kevin Magnussen.

Anterior Nova qualificação de F1 fortemente criticada
Próximo A impressionante viagem de um Ford Model T pelo mundo

Artigos relacionados

Novas baterias eCAIMAN chegam em 2025 com maior capacidade

A União Europeia vai apostar no setor dos veículos elétricos com a criação de uma bateria própria que tem mais 20% de capacidade e que deverá chegar ao mercado em 2025.

Lexus UX: Quando o 3D se alia à condução

Apresentando a visão da Lexus de um SUV compacto do futuro, o Concept UX fará a sua estreia mundial a 29 de setembro no Salão de Paris.

Land Rover desenvolve conceito de ‘atrelado transparente’

A Land Rover está a desenvolver um conceito de atrelado transparente capaz de eliminar totalmente o ângulo morto criado ao rebocar uma caravana ou um atrelado. Esta perspetiva transparente permitiria

0 Comentários

Ainda sem comentários!

Seja o primeiro a comentar este artigo!

Deixe um comentário