Depois do Opel Insignia Euro6 Temp, é a vez do Astra

A Opel continua a renovar as suas motorizações à luz da futura norma Euro 6d-TEMP. Cabe agora a vez ao modelo Astra, cuja gama de motores a gasolina e a gasóleo transita para o futuro padrão que entra em vigor só em setembro de 2019.

Registe-se que esta é a primeira vez que uma norma de certificação prevê medições em condições reais, efetuadas em estradas públicas. O ciclo de renovação no Opel Astra arranca com o motor a gasolina 1.6 Turbo de 200 cv de potência e o turbodiesel 1.6 Turbo D. A estreia está prevista na variante de carroçaria de cinco portas, seguindo-se a ‘station wagon’ Sports Tourer volvidas poucas semanas. As encomendas abrem em junho.

Com elevada potência de 200 cv e binário de 300 Nm – que está em linha com o de um motor Diesel – o 1.6 Turbo garante ao Astra acelerações de zero a 100 km/h em apenas 7,8 segundos e velocidade máxima de 235 km/h[1]. Para reduzir ao máximo possível as emissões de partículas, este renovado motor está equipado com um filtro especial de regeneração onde ocorre a oxidação das partículas aí acumuladas.

Por seu turno, o turbodiesel 1.6 Turbo D do Astra, com 136 cv de potência e 320 Nm de binário[2], passa a estar equipado com catalisador de redução seletiva SCR (Selective Catalytic Reduction), um sistema que minimiza as emissões de óxidos de azoto (NOx) graças à injeção de AdBlue nos gases de escape. A solução decompõe-se em amoníaco que se deposita no miolo da panela catalítica, com o qual os óxidos de azoto reagem e são reduzidos seletivamente a azoto e água.

Do mesmo 1.6 Turbo D existirá uma versão menos potente, com 110 cv. Os Astra Diesel Euro 6d-TEMP com SCR ficam a salvo de eventuais futuras limitações à circulação de veículos a gasóleo nos centros urbanos.

Anterior Hertz é rent-a-car oficial do WRC Vodafone Rally Portugal
Próximo Kia vai ter o seu primeiro modelo com tecnologia Diesel/Híbrida

Artigos relacionados

Cidade de Kodiak tornou-se Kodiaq em promoção ao novo Skoda

A cidade de Kodiak, homónima de uma ilha do Alasca, ‘mudou o seu nome’ para a designação do novo SUV familiar da Skoda: na passada sexta-feira, o nome da cidade

Nissan IDS aponta para o futuro da condução autónoma

Palco de muitas estreias interessantes, o Salão de Tóquio providencia igualmente alguma visão do que será o futuro para algumas marcas. No caso da Nissan, os anos vindouros contarão também

Renault lidera mercado Português pelo 18º ano consecutivo

Com um crescimento de 23,9% (25% no mercado de Passageiros e 17,9% nos Comerciais Ligeiros) o mercado automóvel Português registou, em 2015, uma maior dinâmica do que aquela que era