46% das venda da Toyota na Europa são híbridos

A Toyota Motor Europe (TME) registou nos primeiros 6 meses de 2018, 560 mil viaturas vendidas das marcas Toyota e Lexus, verificando-se um aumento de 6% em relação ao mesmo período de 2016, aumentando a quota de mercado para 5,0%.

A venda de viaturas eletrificadas com a tecnologia híbrida teve um aumento de 23%, registando 257.000 unidades vendidas na Europa só na primeira metade do ano. Com um peso substancial, as viaturas híbridas representam 46% das vendas totais da TME e 58% das vendas totais na Europa Ocidental.

A Lexus registou um crescimento de 7% e contribuiu para o sucesso da tecnologia híbrida com 62% das vendas totais, sendo que a Europa Ocidental tem um peso substancial na venda de viaturas híbridas, registando 99% das vendas com motorizações híbridas.

O lançamento, bem-sucedido, do Toyota C-HR liderou o caminho para o início de 2018, com cerca de 85% dos clientes deste crossover da Toyota a optarem pela versão híbrida.

Este forte desempenho do primeiro semestre relativamente à venda de viaturas foi também suportado pelo Toyota Yaris Híbrido, pelo Auris Híbrido e RAV4 Híbrido, que registaram todos o maior aumento de sempre.

A Toyota Motor Europe é responsável pelos mercados da Europa Central, Ocidental e Oriental incluindo a Turquia e Rússia bem como Israel e alguns países da Ásia Central (Arménia, Azerbaijão, Geórgia, and Cazaquistão).

Anterior SEAT ensina a utilizar o ar condicionado
Próximo Volvo XC40 4x2 é classe 1 nas portagens

Artigos relacionados

Encomendas abertas para o novo Mercedes-Benz Classe X

A Mercedes-Benz já deu início aos pedidos de reserva (em número limitado, por enquanto) para o mercado nacional do novo Classe X.

Hyundai (re)apresenta RM16 N Concept

Não há duas sem três. Revitalizando este conceito, a Hyundai revelou a sua mais recente interpretação do concept RM desta feita adaptada ao ano em questão, 2016. Eis, então, o

Mercedes-Benz Classe E Coupé: Estilo dinâmico

A Mercedes-Benz revelou a nova geração do Classe E Coupé, que se afigura maior e mais requintada do que a sua antecessora, optando ao mesmo tempo por um aspeto dinâmico.